INSCREVA-SE
Acesse a sala de aula

Economia Compartilhada: 4 cases para compreender melhor o assunto

content

O consumo consciente está entre as principais pautas relacionadas à sustentabilidade. A crescente escassez de recursos naturais vem preocupando o mercado e estimulando o surgimento de novos modelos econômicos, como a Economia Compartilhada.

Tendência global, a economia compartilhada, ou economia colaborativa, consiste no consumo de bens e serviços por meio de trocas e compartilhamentos. Gigantes da tecnologia como Ebay e Airbnb, são alguns exemplos desse modelo econômico.

Para se ter uma ideia, a economia compartilhadamovimenta cerca de US$ 15 bilhões anualmente, segundo um estudo divulgado pela consultoria PwC. Ainda, a mesma pesquisa apontou que esse sistema responderá por cerca de 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do país até 2025.

Consumir de forma sustentável vem se tornando cada vez mais uma necessidade, tanto para a sociedade, como para o próprio mercado. Em sua aula para o PUCRS Online, Luciana Caran traduz as singularidades do modelo econômico e apresenta cases valiosos para compreender melhor esse tema. Continue a leitura do nosso artigo.

Entendendo a Economia Compartilhada

Estruturada de acordo com as novas tendências de consumo, a economia compartilhada prega o reaproveitamento de bens e o compartilhamento de serviços. O seu objetivo é estimular a geração de novas fontes de renda e aumentar a vida útil de materiais em desuso.

Na economia compartilhada o foco está nas pessoas e nas relações geradas a partir dessas trocas. Durante a aula, Luciana Caran explica as principais diferenças entre os agentes econômicos no contexto da economia tradicional e da economia compartilhada. Confira:

Economia tradicional

  • Os papéis são bem definidos: cliente/fornecedor, produtor/consumidor;
  • Os agentes são porteiros e permitem a quem paga acessar o recurso;
  • As transações que ocorrem são profissionais e padronizadas.

Economia compartilhada

  • Os papéis são ambivalentes e mutáveis;
  • Os agentes são conectores, garantindo o fluxo dos recursos;
  • As transações são customizadas e há criação de relação pessoal.

Pilares da Economia Compartilhada

Alguns pontos fazem desse sistema econômico uma opção atraente e viável, tanto para quem consome, como para quem oferece um bem ou serviço. 

Conheça agora os pilares que fazem da economia compartilhada um modelo consistente no mercado:

Interação social

A busca pela socialização está entre os pilares da economia compartilhada, pois ela gera uma sensação de comunidade e de solidariedade.

Globalização e inovações tecnológicas

A internet atua como uma catalisadora desse modelo econômico, amparando as inúmeras redes que auxiliam e impulsionam esses serviços. 

Consciência ambiental

Acompanhar os impactos positivos que o consumo colaborativo causa ao meio ambiente, torna cada vez mais forte a expansão dessa nova consciência.

Estímulos financeiros

Gerar novas fontes de renda é um dos pilares dessa economia. Através da venda e aluguel de bens e serviços é possível estimular a reutilização de materiais em desuso. 

3 categorias impulsionadas pela Economia Compartilhada

Considerada uma das principais referências em estudos sobre consumo colaborativo, Rachel Botsman acredita que a economia compartilhada contempla 3 grandes categorias do mercado. 

Durante a aula para o PUCRS Online, Luciana Caran traz exemplos sobre elas. Confira:

Sistemas de compartilhamento de produtos e serviços

Nessa categoria, o usuário pode pagar para acessar um produto ou serviço por um determinado período de tempo. 

Um exemplo disso é o Uber Share, quando os usuários podem escolher compartilhar a corrida. Outro exemplo prático desse serviço é o Airbnb, onde os usuários podem anunciar, descobrir e reservar acomodações.

Redistribuição de produtos

Aqui a intenção é realizar o remanejo de itens que não estão sendo utilizados. Comércios especializados em trocas e vendas de produtos usados, são um grande exemplo dessa categoria.

Plataformas online como o Enjoei, Ebay e o Mercado Livre atuam neste segmento.

Estilo de vida colaborativo

Essa categoria visa reunir usuários com o objetivo de compartilhar bens, serviços e espaços. Os coworkings, onde diversos profissionais podem usufruir do mesmo espaço, são um excelente exemplo de economia compartilhada.

4 grandes cases para compreender melhor o assunto

Linux

Se você já acompanha há algum tempo o mundo da tecnologia, deve se lembrar dele. 

Fundado em 1991, o Linux é um Sistema Operacional que possibilita a execução de programas em um computador e demais dispositivos. A grande sacada desse sistema é a sua flexibilidade, pois ele pode ser livremente modificado e distribuído.

Ebay

A grande pioneira dos comércios eletrônicos desmistificou a forma de vender e comprar. 

O Ebay é uma plataforma global de negociações com mais de 187 milhões de membros registrados. Atualmente, é um dos maiores sites do mundo para a venda e compra de bens e no primeiro trimestre de 2021 arrecadou mais de US$27.5 milhões em vendas brutas.

Airbnb

A startup de São Francisco, na Califórnia, é uma das maiores expoentes da economia compartilhada.

O Airbnb é um serviço online comunitário, onde as pessoas podem anunciar, descobrir e reservar acomodações e meios de hospedagem.

Em 2021, a empresa atingiu um valor de mercado de US$ 100 bilhões.

BlaBlaCar

Lançado em 2005, o BlaBlaCar é um aplicativo de caronas. Desde 2006, já soma mais de 75 milhões de usuários e, apenas no ano de 2020, mais de 50 milhões de passageiros utilizaram o serviço.

Ajude a construir novas possibilidades para o futuro

As práticas ambientais, sociais e de governança, ou ESG, figuram entre os elementos fundamentais para qualquer organização. Mais do que nunca, investir no desenvolvimento sustentável deve ser uma prioridade para as empresas do futuro. 

Faça parte de uma nova geração de líderes capazes de transformar a sustentabilidade em vantagem competitiva.

Conheça o MBA em Desenvolvimento Sustentável e Economia Circular e aprenda a conduzir mudanças impactantes no mundo conectadas aos desafios da atualidade.

Matricule-se agora e evolua ao lado de grandes referências do mercado como Rony Meisler, CEO e cofundador da Reserva, Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora e Luciana Caran, palestrante e diretora executiva da campanha “Somos Todos Amazonas”. 

Escolha um caminho completo, original e de excelência. Escolha ser PUCRS Online.

Comentários